Livro: Fios de Prata | Resenha

RESENHA: FIOS DE PRATA 
AUTOR: RAPHAEL DRACCON
EDITORA: LEYA
ANO DE LANÇAMENTO: 2012
FICÇÃO – LITERATURA DE FANTASIA

Sonhar, define Fios de Prata.

Fala meus leitores e leitoras, venho trazer mais uma resenha sobre um livro que trouxe sentimentos diversos durante a sua leitura.

Sou fã da literatura de Raphael Draccon e novamente ele conseguiu me surpreender.
Fios de Prata nos apresenta a história de Lady Madelein, o anjo responsável pelos condados do Sonhar que em um estratagema perigoso quer acender a sua posição atual e com isso acaba por desencadear uma guerra entre os três deuses menores, Morpheus (Deus dos Sonhos), Phantasos (Deus da Fantasia) e Phobetor (Deus do Medo).


A história nos traz o personagem Mikael Santiago, um jogador de futebol aclamado por todo o globo que se apaixona por um jovem chamada Ariana. Acontecimentos no decorrer da história levam com que sua amada vivencie pesadelos constantes e com o intuito de salva-la promete que iria até o inferno para ajudá-la.

No demais, terão que ler o livro para saber o desenrolar da história e vamos a nossa resenha.

Eu comecei a ler Fios de Prata com a mesma expectativa que li Dragões de Éter (outra obra de Draccon), porém, fui surpreendido com seu conteúdo e assunto.

Comparado aos livros anteriores que li de Draccon, posso dizer que Fios de Prata é um livro espiritualista, sombrio, que faz com que nossa imaginação divague em lugares que temos na maior parte em pesadelos e sonhos felizes.

O livro aborda assuntos religiosos de diversas crenças, fazendo uma mistura de tudo que já pude aprender e estudar.

Por mais que a história se apresente sombria, ela te prende, te faz querer saber o que virá nas próximas páginas, atiça a sua curiosidade de tal forma que você lê sempre querendo mais.

O livro tem passagens filosóficas que nos fazem refletir por bons momentos e rever certas atitudes que temos.

Fios de Prata tem o cuidado de mostrar um universo místico que se interliga por vários caminhos, abrangendo todos os ideais de religião e crenças, tornando-os apenas um.

A leitura dele é rápida, pois são capítulos curtos até quase a terceira parte do livro, com exceção dos últimos que se tornam maiores, porém não deixam de ser fáceis de concluir.

A forma de escrita de Draccon continua simples e de fácil assimilação, sem muitos rodeios ou utilização de termos que nos confundam, o que me agrada muito, pois tenho problemas com leituras mais pesadas no sentido de palavras complicadas.

Porém a leitura é mais jovem/adulto, não tão infantil/juvenil como eu imaginava que seria.
Falei que o livro é sombrio, mas não impediu de me arrancar sorrisos durante a sua leitura e sobre o final rolaram incontáveis lágrimas.

Enquanto lia, posso dizer que os meus “sonhos” eram abalados e minha crença em algo melhor ficou até mexido, isso no sentido planeta, mas o final, como um toque de esperança em meu coração, me fez brilhar novamente e ter fé em coisas melhores e que tudo seria possível (Só sabia chorar na reta final).

Foi incrível essa experiência, somente lendo você poderá entender isso ao que me refiro, essa sensação de perda total dos sonhos e de repente tudo volta a ter cor e fazer sentido e você começa a brilhar com tanto amor que surge e esperança de dias melhores.

Quando um autor consegue fazer você se identificar com a história que está contando, quando ele consegue te fazer entrar nesse mundo que está apresentando através de palavras e paginas é fenomenal. Essa capacidade de fazer você sentir medo, repulsa e depois chorar de emoção e sorrir novamente é sem igual, me impressiono toda vez que um livro atinge o meu lado emocional.

Como eu disse, Fios de Prata se resume em Sonhar, foi um bom livro, uma história que ficará guardada em minha mente e com toda certeza plantou uma semente de sonhos em meu coração.

Parabenizo Draccon por mais essa excelente obra e fica a dica de leitura a todos vocês.
Até a próxima.  






Nenhum comentário: