Detalhes, Traços, Tempo | Reolhar a Vida




Fala meus leitores e leitoras, no ano anterior participei de uma blogagem coletiva denominada, 52 semanas de gratidão, participai já na reta final e fiquei tão grato por tudo que pude refletir com a ideia que fiquei ansioso por repetir isto em 2018.

Porém, Elaine Gaspareto, não deu continuidade a este projeto, porém iniciou um novo tão incrível quanto.

Ele se chama “Reolhar a vida”.


Perdemos aquela sensibilidade de olhar para algo que acreditamos já conhecer, perdemos o contato, o prestar atenção, em coisas que hoje nos passam despercebidas, mas que tem grande valor em nossa vida, e com isso venho convidar você a participar também deste projeto e voltar seus olhos para o mundo ao seu redor e tirar dele detalhes que para você e eu, já estavam esquecidos.

Após esta introdução, venho falar sobre o que reolhei esta semana e que me fez pensar sobre e quanto tempo não parava para admirar isto.

Pedi para minha mãe ficar de frente para mim, observei os detalhes de seu rosto e os traços que ele vem adquirindo, traços naturais, feitos pelo tempo, traços esses que contam histórias, sonhos, sorrisos dados, lágrimas derramadas, fossem elas de tristeza ou alegria.
O tempo é amigo e não inimigo, todos nós devemos fazer dele um parceiro, olhando para o rosto de minha mãe, pude observar as suas linhas de expressão e refleti sobre quanto esse rosto já tomou sol, sorriu, chorou, como cada linha dessa representa um momento em seu passado.

Seus olhos verdes, semelhantes aos meus, os traços que se formam próximo aos olhos quando ela sorri, foi muito gratificante observar e ter esta percepção de tempo.
Tantos detalhes, em tão pouco espaço, porém com grandes significados.


Este é o meu reolhar dessa semana, qual foi o seu?



18 comentários

  1. Mas que legal! Imagino que tua mãe deve ter gostado de te ver percebendo melhor tudo nela! Adorei! abraços praianos,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi algo gratificante, ela deve ter gostado, obrigado pelo comentário!!

      Excluir
  2. Ola Douglas!
    Eu adoro participar destas blogagens coletivas!
    Muito bom reolhar o mundo. E adorei sua percepção.
    Seu post ficou ótimo
    Vou te acompanhar tbe
    Bjs e uma ótima semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, foi bem reflexivo, adorei começar esta blogagem coletiva!!

      Excluir
  3. Douglas:
    Lindo demais!
    Uma semana linda com novos reolhares.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Sônia, lhe desejo o mesmo!! E que venham diversos reolhares!! Gratidão

      Excluir
  4. Oi Douglas, que sensibilidade, adorei a foto e considerações!!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dalva!! Que bom que gostou, também me senti ótimo fazendo essa publicação e pensando sobre ela. Gratidão

      Excluir
  5. Oi Douglas, vim prestigiar sua participação e me encantei e emocionei ao ler cada palavra, pois reportei a minha mãe, que hoje está em outra dimensão, e nunca parei para analisar seus traços, os quais guardavam todas emoções pelas quais ela passou por ela, por mim, por minha irmã, meu pai, enfim, pela família toda. Amei e amo demais meus pais, mas, mesmo que queira reolhá-los com esse olhar sensível que você teve, não tenho mais essa oportunidade. Parabéns a você, meu querido, por ter tido essa sensibilidade em tempo, aproveite para sempre reolhar sua mãe, ela é tesouro. Desculpe, tanto falar, mas foi a emoção da sua partilha que me tocou tanto. Parabéns pelo blog, pela maneira leve e sensível que você aborda os assuntos e pela sua simpatia. Desejo um ano bem feliz e com muitas realizações. Amei tanto seu espaço que o estou seguindo e o convido a me fazer uma visita aos meus, eis os links:

    http://meusertaopoetico.blogspot.com.br
    http://sounaturezaesertao.blogspot.com.br
    http://brincadeirasdepoetas.blogspot.com.br

    Beijos carinhosos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro, gratidão pelas palavras, foi algo incrível viver e partilhar esse meu re-olhar, segundo, como consegue manter três blogs? hahaha ... Mal dou conta de um, imagina três!! Mas irei visitar cada um deles, seguir e acompanhar na medida do possível!! Obrigado pelo comentário <3

      Excluir
  6. Douglas, eu li seu post assim que publicaste, mas deixei pra comentar hoje.
    Depois que li fui pra frente do espelho e olhei meu próprio rosto.
    Fiquei pensando que nunca um filho vai olhar pra mim com esse olhar que você olhou pra sua mãe. Não tenho e nem terei filhos, e esse olhar é uma coisa da qual não achei que sentiria falta...
    Seu texto é muito inspirador, me fez pensar em coisas que nem imaginava...
    Como leitor você sabe que isso é mérito de bons textos, fazer quem os lê pensar...
    beijossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elaine, ainda há tempo de você ter um filho, se por motivos físicos não é possível, papai do céu nos proporciona a adoção, como Chico Xavier falava, ninguém adota um filho que já não foi seu em outra vida e que nessa esta tendo a oportunidade de voltar para o seu lar, fico feliz por ter conseguido através de palavras passar algo tão magnifico e bom. Gratidão pelas palavras e um abraço de urso daqueles que fazem nosso corpo aquecer e sentir toda a energia do Universo girando lentamente e fazendo com que todas as sensações que sentimos nessa abraço seja de puro amor e gratidão. Obrigado pela maravilhosa ideia do Re-olhar!!

      Excluir
  7. Adorei seu olhar ter se voltado para essa figura tão importante e que as vezes nos esquecemos de admirar pela correria do dia a dia, coisa que costumeiramente deixamos para fazer quando tudo o que temos são fotos de algum evento que a sociedade acha importante. E sua reflexão foi pontual.
    Parabéns pela participação.
    Muita Luz e Paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado!! Concordo que acabamos esquecendo de admirar aquele que esta tão próximo de nós. Abraços.

      Excluir
  8. Olá Douglas! Que delicadeza seu olhar para com sua mãe. Quantas histórias tem em cada marca e quantas imagens o olhar de sua mãe presenciou. Perdi meus pais muito cedo, eles eram jovens, então não tive o prazer de ver as marquinhas no rostinho deles. Eu já cultivo as minhas, para que minha filha perceba o quanto é bom viver e ter histórias pra contar. Que seu caminho seja repleto de Paz e Bem! Dê beijinhos em sua mãe por mim. Nice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que assim seja!! Gratidão pelas palavras, desejo tudo em dobro a você. Abraços

      Excluir
  9. Olá Douglas! Fiquei com inveja de você agora rsrs quem sabe um dia um dos meus filhos me olhará desta forma, tão verdadeira e cheia de amor. Parabéns para a sua mãe, ela tem um filho incrível. Muito boa essa blogagem, tá fazendo todo mundo parar e pensar, tantas bênçãos em nossas vidas que não damos importância...

    Um ótimo início de ano pra você.

    beijossssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não achei que seria tão reflexivo, gratidão pelas palavras!!

      Excluir