Trilogia Legend | Resenha



Resenha: Trilogia Legend
Livros: Legend, Prodigy e Champion
Autor (a): Marie Lu
Editora: Rocco
Ano de Publicação: 29 de Novembro de 2011, 29 de Janeiro de 2013 e 05 de Novembro de 2013.
Gênero: Distopia, Ficção Juvenil

Sinopse de Legend
A Verdade Se Tornará Lenda - Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos. Nascida em uma família de elite em um dos mais ricos setores da República,
June é uma garota prodígio de 15 anos que está sendo preparada para o sucesso nos mais altos círculos militares da República. Nascido nas favelas, Day, de 15 anos, é o criminoso mais procurado do país; porém, suas motivações parecem não ser tão mal-intencionadas assim. De mundos diferentes, June e Day não têm motivos para se cruzarem – até o dia em que o irmão de June, Metias, é assassinado e Day se torna o principal suspeito. Preso num grande jogo de gato e rato, Day luta pela sobrevivência da sua família, enquanto June procura vingar a morte de Metias. Mas, em uma chocante reviravolta, os dois descobrem a verdade sobre o que realmente os uniu e sobre até onde seu país irá para manter seus segredos.

Sinopse de Prodigy
Os opostos perto do caos. Depois que um cataclismo atingiu o planeta Terra, extinguindo continentes inteiros, os Estados Unidos se dividiram em duas nações em guerra: a República da América, a oeste, e as Colônias, formadas pelo que restou da costa leste da América do Norte. June e Day, a menina prodígio e o criminoso mais procurado da República, já estiveram em lados opostos uma vez.
Agora eles têm a oportunidade de lutar lado a lado contra o controle e a tirania da República e, assim, alterar para sempre o rumo da guerra entre as duas nações. Resta saber se estão preparados para pagar o preço que as transformações exigirão deles.

Sinopse de Champion
No emocionante desfecho da trilogia Legend, June ocupa uma posição privilegiada no governo e Day trocou a alcunha de criminoso mais procurado do país pela de herói nacional. Mas quando tudo parece conspirar a favor da paz, a ameaça da guerra ressurge na forma de um vírus mortal que começa a espalhar o pânico entre as colônias. Em Champion, a vida de milhares de pessoas está novamente nas mãos de June, a menina-prodígio da República. Mas salvá-las significa também enfrentar novos desafios e exigir novos sacrifícios de seu amor.

Resenha

Fala meus leitores e leitoras, essa foi a minha última leitura do ano de 2017 e preciso mesmo fazer uma resenha para dar destaque a esta obra que estava ali na minha estante pegando poeira e que quando terminei deixou um gostinho de: Cadê? Quero mais! Não pode ter acabado!!

Eu comprei essa trilogia a algum tempo, em promoções mágicas da internet, onde você compra três livros pelo preço de um e ficou ali guardado, pois a vida andava uma bagunça e não tinha tempo de pôr as leituras em dia.

Eu conheci os livros através de um amigo, que fez uma propaganda enorme sobre, foi bem naquela época que Jogos Vorazes era febre e distopias tinham ganho uma nova atenção do público jovem.

Comprei, guardei e não li.

Pois bem, a gente demora, mas a gente lê e foi com uma meta de leitura estipulada e uma necessidade de começar um gênero diferente do gênero fantasia, que peguei essas maravilhosas obras e graças ao meu bom Deus da literatura, elas são incríveis.

Fiquei com o pé atrás a princípio, pois a ultima distopia que li (Maze Runner, desisti na metade do segundo livro) não foi uma boa experiência e com receio comecei essa distopia, torcendo para que o negócio fosse de fato bom.

E meus amigos, o negócio é bom, e fazendo uma comparação com Jogos Vorazes, arrisco dizer, que é tão bom quanto.

Mas chega de introdução e vamos a minhas impressões sobre os livros, lembrando que evito ao máximo spoilers e tento sempre deixar a minha impressão apenas, então fiquem tranquilos quanto a isso.

Começando com Legend.

Neste livro somos apresentados aos personagens principais, Day e June, o livro é dividido em duas narrativas com a visão dos personagens, os capítulos são intercalados entre um e outro.

Com narrativas simples, Marie Lu ganhou meu coração, odeio coisas complexas que não consigo mensurar ou idealizar, mas ela conseguiu fazer com que eu adentrasse cada viela e beco descrito.

Rico em detalhes, sem muita confusão, fazendo sempre bastante uso das cenas e lugares.
Distopia é aquela coisa, um ambiente hostil, cheio de regras e conflitos sociais, onde o governo se sobrepõe a tudo e todos, mostrando que a classe mais pobre deve sofrer e a mais rica prevalecer no poder.

E com o primeiro livro, temos o primeiro contato com nossos personagens principais e outros secundários, onde vamos formando opiniões sobre cada um e nos encantando ou não com os mesmos.

June tem personalidade forte e é a típica garota do bairro rico que despreza o restante da população, sendo o prodígio da República, acaba sendo favorecida em tudo que realiza, isso acaba gerando uma certa antipatia por ela.

Day o garoto das favelas, maroto, bonito, cheio de força de espirito, que acaba causando o caos contra a República, lutando pelos direitos civis e liberdade de um povo que assim como ele, sofre.

Eu acabei me encantando com ambos os personagens e com o decorrer da leitura fui formando opiniões bem assertivas sobre cada um deles, a leitura fluiu muito bem e isso ganhou muitos pontos, os livros parecem que não irão render nada pois são pequenos, porém são ricos em conteúdo e tem a capacidade de nos conduzir bem.

Temos a trama principal em desenvolvimento e algumas sub tramas que vão surgindo conforme você realiza a leitura.

O primeiro livro se encerra de maneira súbita e te deixa ansioso pelo próximo, tanto que acabei o primeiro e nem respirei direito e já comecei o segundo.

Falando sobre Prodigy agora.

Ele da continuidade a trama principal do primeiro, começamos a ter um laço mais forte com nossos personagens neste livro e torcer para que tudo ocorra de maneira tranquila, o que é uma ilusão, pois para quem já leu distopia, sabe que esse negócio de que tudo irá dar certo, não existe.

Começamos a conhecer os vilões por trás de toda a histórias e quem são os verdadeiros inimigos, algumas surpresas surgem com o decorrer da história, personagens que achamos ser algo e não é, caminhos que são traçados de forma errada e muita treta.

June amadureceu e começou a mudar seu ponto de vista sobre a sociedade pela qual sentia desprezo, Day e ela juntos começam a investigar a República e tudo que há de errado por trás do sistema.

Mortes acontecem, então prepare seu coração, não crie laços, não crie expectativas, leia ciente que aquele personagem querido, que você está torcendo pode morrer a qualquer momento, distopia é isso, é trazer a história para o mais próximo da realidade possível, sem perder a sua essência de ser uma ficção.

Prodigy se encerra com um ar de: para que um próximo livro? Foi isso que senti, mas seguindo com o terceiro e último, tive que mudar minha opinião.

Encerrando com Champion.

Então meus amigos, chegamos ao terceiro livro e como disse, achei não ser necessário, mas me enganei.

O livro é excelente, continua com a mesma narrativa dos anteriores, as cenas de ação (aqui tem muita) são tão bem escritas que você se tele transporta para o meio do campo de batalha e se sente um soldado lutando junto a June e Day.

Muita coisa acontece por aqui, achei até que não iria se encerrar de maneira aceitável, mas eu não senti pontas soltas, não senti que faltou algo, foi uma trilogia que se destacou por sua forma simples de contar a história, com discursos bem elaborados, cenas bem descritas, uma leitura dinâmica que cumpriu com seu dever.

Marie Lu conquistou meu coração e leria outra obra dela sem pensar, pois, Legend deixou sua marca e minha recomendação, personagens bem construídos, vilões que faziam seu ódio pular dentro de você, raiva, lágrimas, encanto, um misto de sentimentos.

E um encerramento que na minha opinião, foi sensacional.

Fica aqui então a minha resenha sobre o que achei da Trilogia Legend, espero que gostem e até a próxima.

NOTA: (5,0) ★★★★★ (Para os três livros)











Nenhum comentário: